Abuso sexual infantil é tema de peça da Mostra de Teatro Universitário

 

Ossos e Rins, que fez a plateia aplaudir em pé, conversa com o público sobre a realidade do abuso sexual infantil dentro de casa.

Heloisa Krambeck | 1º ano de Jornalismo

A peça Ossos e Rins – sobre aquilo que nos sustenta e o medo do que vem, da Companhia de Teatro Ilustríssimos Senhores, de Itajaí (SC), teve apresentação única no Festival de Curitiba, no dia 04 de abril, como parte da Mostra Universitária do Fringe. Com uma narrativa não linear, o espetáculo traz as memórias de um homem que foi abusado pelo pai durante sua infância.

Ao relatar os acontecimentos de uma maneira sutil e cheia de metáforas, Ossos e Rins chama a atenção pela linguagem leve, mas sem deixar que o tema perca sua força. O impacto do abuso sexual infantil é explorado de diferentes maneiras, como na alternância de cenas: se, em determinado momento, o público assiste a uma discussão que indica um relacionamento abusivo, em outra cena a informação é anunciada diretamente à plateia, com dados referentes ao abuso sexual (a frase “ocorre um estupro a cada 11 minutos” aparece entre os diálogos, por exemplo).

Segundo Mônica Torinelli, atriz e diretora, essa inserção de dados e conceitos nos diálogos surgiu da necessidade de tornar o assunto mais objetivo. Inicialmente, a história era uma junção de outras cinco dramaturgias escritas por Mônica e o estupro era tratado de forma subjetiva. Conforme a peça se modificou, o abuso sexual infantil se tornou a discussão central e transformou o espetáculo em uma forma de denúncia. O problema da falta de notificação dos crimes – principalmente contra meninos – e da culpabilização da vítima também foram abordados na narrativa.

Outra característica marcante de Ossos e Rins é a repetição, presente nas falas dos personagens, em suas ações e durante todos os intervalos entre cenas, quando os atores dançavam ao som da música “Sweet Dreams”  (da dupla britânica Eurythmics). A trilha sonora, a iluminação e os diálogos foram pensados para causar incômodo ao público.

Além de Mônica Torinelli, Ossos e Rins conta com a atuação de Victor Zaguini. O espetáculo foi produzido na Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), para a disciplina Prática de Direção Teatral do curso de Teatro do Centro de Arte da instituição.

Ossos e Rins –  sobre aquilo que nos sustenta e o medo do que vem

Gênero: Drama

Apresentação: 04 de abril

Horário: 18h

Local: TEUNI (R. XV de Novembro, 1299)

Classificação: +16

Duração: 45 minutos

Entrada Franca

 

Foto: Heloisa Krambeck

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s